Barroso parte para cima do Telegram que é novo reduto de bolsonaristas

Presidente do TSE, Luís Roberto Barroso requisitou uma reunião com o diretor executivo do Telegram para discutir o combate à desinformação. Depois de serem banidos de aplicativos como WhatsApp onde desinformam a população com Fake News absurdas diariamente, bolsonaristas estão migrando para o Telegram com seus métodos já conhecidos por todos, inclusive pela  justiça brasileira.

Por Redação

O ministro Luís Roberto Barroso, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), requisitou na quinta-feira 16,  uma reunião com o diretor executivo global do aplicativo de mensagens Telegram, Pavel Durov, para tratar de uma possível cooperação no combate à desinformação no Brasil. Informa a coluna do Guilherme Amado do site Metrópoles.

Barroso disse no ofício que o Telegram apresenta rápido crescimento no país e que muitas teorias da conspiração e informações falsas sobre o sistema eleitoral têm sido disseminadas no aplicativo sem que exista qualquer restrição. A empresa precisa enviar um representante para estabelecer contato com o TSE e avaliar quais ações poderiam ser adotadas para coibir as fake news. O Telegram não possui escritório no Brasil.

O ministro explicou ao executivo do Telegram que o TSE tem a função de organizar e conduzir as eleições no Brasil e que o diálogo com provedores de aplicativos de internet tem sido importante para coibir a disseminação de mentiras sobre o processo eleitoral brasileiro.

Barroso ficará no comando do TSE até fevereiro de 2022 quando será substituído pela nova presidência, quem foi eleito para o cargo foi Edson Fachin. Mas quem ficará no comando será Alexandre de Moraes, que será o vice de Fachin.

Fachin comandará o TSE até 17 de agosto do ano que vem. No cargo, dará continuidade ao processo de preparação das eleições do próximo ano, iniciado em outubro a partir da abertura dos códigos-fonte do sistema eletrônico de votação, um ano antes do pleito.

Segundo o ConJur, o vice anterior assume a presidência na gestão seguinte. Fachin foi vice de Barroso. Portanto, Alexandre de Moraes deverá assumir o TSE durante a campanha, as eleições e a apuração do ano que vem.

Com informações do Metrópoles/ConJur

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: