Marcha contra a fome: 20 mil pessoas tomam ruas de SP em protesto contra a volta da miséria

Mobilização aconteceu também em outras cidades; na capital paulista, estiveram presentes Guilherme Boulos e Padre Júlio Lancellotti, entre outras lideranças sociais e políticas

Fórum – O Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Frente Povo Sem Medo e outras organizações sociais promoveram em inúmeras cidades do país, neste sábado (13), uma mobilização batizada de Marcha contra a Fome. Através de passeatas, manifestantes denunciaram a volta da miséria no país.

Em São Paulo (SP), onde aconteceu o maior ato, manifestantes saíram da estação Paraíso do Metrô e seguiram em marcha até a Praça da Sé, no centro da capital, onde foi realizado um ato ecumênico com a presença do Padre Júlio Lancellotti, da Pastoral do Povo da Rua. O líder do MTST e político do PSOL, Guilherme Boulos, também esteve presente, bem como o deputado federal Ivan Valente (PSOL-SP).

“A marcha quer sensibilizar a sociedade para a situação de insegurança alimentar vivida por milhões de pessoas. Mais do que uma tragédia, a fome é projeto desse governo genocida. E é só com o fim do bolsonarismo que milhões de brasileiros poderão voltar a comer dignamente”, disse Boulos à Fórum.

A organização calcula que cerca de 20 mil pessoas compareceram ao protesto. Além da capital paulista, marchas contra a fome foram realizadas no Rio de Janeiro, Aracaju, Maceió, Recife, Ceilândia, Goiânia, Porto Alegre, Belo Horizonte e Montes Claros.

Volta da fome

Pesquisa divulgada em outubro pela Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar (Rede PENSSAN) revela que, no período abrangido pelo levantamento (5 a 24 de dezembro de 2020), apenas 44,8% dos lares tinham seus moradores e moradoras em situação de segurança alimentar, ou seja, 55,2% dos lares conviviam com a insegurança alimentar, um aumento de 54% desde 2018 (36,7%).

Em números absolutos, 116,8 milhões de brasileiros não tinham acesso pleno e permanente a alimentos, desses, 43,4 milhões (20,5% da população) não contavam com alimentos em quantidade suficiente (insegurança alimentar moderada ou grave) e 19,1 milhões (9% da população) estavam passando fome (insegurança alimentar grave).

O Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da Covid-19 foi realizado em 2.180 domicílios nas cinco regiões do país, em áreas urbanas e rurais, entre 5 e 24 de dezembro.

De acordo com os pesquisadores, a fome é um problema histórico no Brasil, mas destacam que entre 2004 e 2013, o programa Fome Zero conseguiu reverter o quadro de miséria endêmica.

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), realizada em 2004, 2009 e 2013, revelou uma importante redução da insegurança alimentar em todo o país. Em 2013, a parcela da população em situação de fome havia caído para 4,2% – o nível mais baixo até então. Isso fez com que a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura finalmente excluísse o Brasil do Mapa da Fome que divulgava periodicamente.

Marcha contra a Fome: fotos e vídeos

Uma resposta para “Marcha contra a fome: 20 mil pessoas tomam ruas de SP em protesto contra a volta da miséria”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: