Senadores da CPI da Covid pedem investigação de Jair Renan: ‘Linguajar de marginal’ com ameaça. (Vídeo)

Filho do presidente gravou vídeo com armas de fogo, mencionando a comissão parlamentar que lembraram que Renan Bolsonaro é maior de idade, não tem foro privilegiado e cometeu crime de ameaça

Com RBA

Os senadores da CPI da Covid abriram a sessão desta terça-feira (21) pedindo que o filho do presidente Jair Bolsonaro, Renan Bolsonaro, seja investigado, por convocação ou encaminhamento do caso à Justiça, pelo crime de ameaça. Em vídeo publicado, ontem (20), o filho do presidente mostrou armas de fogo e escreveu “Alô, CPI”.

Os senadores Rogério Carvalho (PT-SE) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP) afirmaram que Renan Bolsonaro ameaçou explicitamente a CPI da Covid e exibiram o vídeo na sessão. Os parlamentares lembraram que ele é maior de idade, não tem prerrogativa de fogo e teria cometido o crime de ameaça.

“O filho do presidente deveria respeitar as instituições, mas fez ameaças veladas, mostrando que responderá ‘na bala’ os possíveis delitos cometidos e identificados pela CPI”, apontou Carvalho, que foi acompanhado de Randolfe. “Ele não tem foro privilegiado, então não precisamos encaminhar o caso à PGR. Faço o encaminhamento para que a delegacia de polícia ouça Jair Renan pelo crime de ameaça, através de uma simples queixa-crime.”

O presidente da CPI da Covid, senador Omar Aziz (PSD-AM), também fez críticas ao filho de Bolsonaro. “Sabe quem tem esse linguajar? Marginal. É marginal que chama arma de fogo de ‘brinquedo’. Isso é coisa de marginal”, disse.

Já o relator da CPI, senador Renan Calheiros (MDB-AL), disse que Jair Renan é “mais um filho do presidente que não recebeu educação” e a ameaça é “estapafúrdia”. “É um absurdo sob qualquer aspecto, mas as ameaças de um fedelho não vão intimidar os senadores.”

Renan Bolsonaro na CPI

Na semana passada, a CPI da Covid apontou a relação entre Renan Bolsonaro e o suposto lobista da Precisa Medicamentos, Marconny Faria. Durante depoimento na comissão, ele confirmou ser amigo do filho do presidente e disse conhecer sua mãe, Ana Cristina Valle.

A CPI, inclusive, aprovou a convocação de Ana Cristina Valle para prestar depoimento, após solicitação feita pelo senador Alessandro Vieira (Cidadania-ES). Mensagens trocadas entre ela e Marconny Albernaz de Faria mostram que a mãe de Jair Renan teria encaminhado ao presidente indicações de Marconny para cargos em órgãos do governo.

De acordo com Omar Aziz, apesar das ameaças de Renan contra o senadores, a CPI da Covid tem respaldo do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG). “Ele (Pacheco) mandou avisar que está 100% solidário à CPI. E disse também que esse tipo de absurdo não pode acontecer e, como presidente do Senado, irá tomar todas as previdências cabíveis sobre as ameaças contra a CPI”, relatou Aziz.

Durante a sessão, o senador governista Marcos Rogério (DEM-RO) esbravejou contra a exposição de Renan Bolsonaro. Entretanto, que a atitude dele foi de “fato inapropriada” e que não se opõe que seja enviada uma representação para apuração do fato pelo foro competente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s