CPI ouve diretora da Precisa, que intermediou negócio nebuloso da Covaxin. Assista

Bolsonaro confirma ter recebido denúncias e diz que “passou pra frente”. Já o “reverendo” apresentou atestado médico para não depor na quarta-feira

RBA – A CPI da Covid recebe, nesta terça-feira (13), a partir das 9h, a diretora técnica da Precisa Medicamentos, Emanuela Medrades. A empresa intermediou negociações da vacina indiana Covaxin, apontada pela comissão como “calcanhar de Aquiles” de Bolsonaro, segundo a senadora Simone Tebet (MDB-MS). Porém, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, autorizou nesta segunda-feira que Emanuela fique em silêncio no depoimento.

Acompanhe a sessão desta terça

O governo de Jair Bolsonaro assinou um contrato considerado fraudulento, de acordo com testemunhos, no valor de R$ 1,6 bilhão, para a compra de 20 milhões de doses da Covaxin por US$ 15 a dose. O deputado Luis Miranda (DEM-DF) e seu irmão Luis Ricardo Miranda, o ex-coordenador de Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, Luis Ricardo Fernandes Miranda, teriam informado o presidente sobre irregularidades no contrato.

Enquanto a negociação com a Pfizer, considerada mais eficaz, levou 330 dias, a Covaxin, antes de ser aprovada pela Anvisa, foi comprada em 97 dias. Mas, diante das denúncias da CPI, o negócio foi suspenso, e assim as doses nunca chegaram ao país. As denúncias vão de preço superfaturado a pedidos de pagamentos “por fora”. E passam também por pressões pelo fechamento do negócio. Ontem (12), Bolsonaro afirmou em declaração pública que recebeu denúncias de Miranda e que “passou pra frente”.

Mais tarde, em entrevista ao programa Roda Viva, o deputado Luis Miranda observou que nunca foi desmentido por Bolsonaro. “Ele tenta minimizar a denúncia. Mas em nenhum momento ele me desmente”, disse Miranda, que negou ter gravado o presidente, porém deixou no ar a possibilidade de alguém ter gravado. Além disso, ressaltou ter como provar as denúncias.

“Reverendo” tenta escapar

Na decisão a favor de Emanuela Medrades, Fux determinou que a depoente possa permanecer em silêncio, se for questionada sobre fatos que a incriminem. Ela participou diretamente das negociações para a importação da vacina da Índia. Porém, de acordo com a decisão de Fux, Emanuela é obrigada a depor e falar a verdade, pois seu pedido de não comparecer foi negado.

Já o “reverendo” Amilton Gomes de Paula, cuja oitiva estava prevista para esta quarta-feira (14), apresentou atestado médico. Alegou “impossibilidade momentânea” de comparecer à comissão por 15 dias, devido a uma crise renal, segundo o atestado. Não foi marcada nova data para o depoimento.

O suposto religioso teria sido autorizado pelo próprio Ministério da Saúde a negociar a nebulosa compra de 400 milhões de doses da vacina da AstraZeneca com a empresa Davati Medical Supply. O presidente da comissão, senador Omar Aziz (PSD-AM), convocou o “reverendo” a comparecer a uma junta médica no Senado nesta terça (12) para realizar perícia.

Os senadores fariam uma reunião ontem à noite para decidir se a oitiva de Amilton de Paula seria mantida. Segundo reportagem da Agência Pública, ele esteve no Ministério da Saúde em 4 de março de 2021, como representante da organização privada Secretaria Nacional de Assuntos Humanitários (Senah), que articulou a aquisição de vacinas com a pasta. As doses seriam oferecidas a prefeituras e governos estaduais.

Na quinta-feira (12), a CPI vai ouvir o ex-diretor substituto do Departamento de Logística do Ministério da Saúde coronel Marcelo Blanco. O requerimento de convocação é do senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), que quer esclarecer a presença do militar na reunião em um restaurante de Brasília, onde teria ocorrido pedido de propina em negociação para compra da vacina AstraZeneca.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s