Áudio falso de Dominghetti desmantela cilada governista na CPI do Genocídio

Ele é cabo da ativa da PM de MG. Já trabalhou no gabinete de Romeu Zema. Em seu perfil do Facebook tem foto apoiando Bolsonaro, o que já é muito preocupante.  Além disso o representante da empresa Davati Medical Supply no Brasil, o empresário Crisitiano Alberto Carvalho negou que o áudio do deputado Luis Miranda (DEM-DF) recebido por ele e divulgado na CPI, tratasse da negociação de vacinas.

Com Revista Fórum

O tiro saiu pela culatra. Esta foi a expressão mais usada nas redes sociais para se referir à tentativa de golpe que a base governista tentou dar na CPI do Genocídio, nesta quinta-feira (1º), ao levar Luiz Paulo Dominguetti Pereira para depor.

Na ocasião, Dominghetti divulgou um áudio atribuído ao deputado Luis Miranda (DEM-DF) pelo depoente, que se apresenta como representante da empresa Davati Medical Supply. O presidente da CPI do Genocídio, Omar Aziz (PSD-AM) levantou suspeitas sobre as “intenções” do cabo da PM de Minas Gerais, que estaria infiltrado por governistas.

O representante da empresa Davati Medical Supply no Brasil, o empresário Cristiano Alberto Carvalho negou que o áudio do deputado Luis Miranda (DEM-DF) recebido por ele e divulgado na CPI por Luiz Paulo Dominguetti tratasse da negociação de vacinas. Para o empresário, Dominguetti “quer aparecer”.

Ao O Globo o empresário afirmou que recebeu o áudio não diretamente de Luis Miranda, mas de outra pessoa e que não se refere a vacinas. De acordo com o depoimento, o áudio se refere a negócios nos EUA e que “não tem nada a ver uma coisa com a outra”.

Além disso, o próprio Luis Miranda afirmou se tratar de um áudio de 2020, onde ele negociava venda de luvas.

O deputado federal Orlando Silva Jr. (PCdoB-SP) tuitou: “GOVERNISTAS PEGOS NA MENTIRA! O áudio plantado foi desmoralizado pelo deputado Luís Miranda. O áudio era de 2020, não tratava de vacinas e foi editado. Serviu para gerar falsas versões para o gabinete do ódio. Esse depoente pode acabar preso. Chapéu de otário é marreta!”

O próprio senador governista Jorginho Mello (PL-SC) aconselhou Dominghetti durante o depoimento a retificar qualquer coisa que tenha dito na CPI que possa vir a ser um equívoco.

Dominghetti é cabo da ativa da Polícia Militar de Minas Gerais. Já trabalhou no gabinete militar do governador Romeu Zema. Em seu perfil do Facebook ele tem foto apoiando o presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido).

Repercussão no Twitter:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s