Dois bolsonaristas a deriva causam fissura no governo

Em dia pesado na CPI  da Covid,  bastidores da policia e política deixam bolsnoaristas em tensão máxima com direito a Policia Federal e Pazzuello tendo mal estar

Por Redação

A manhã de quarta-feira 19,  nem começou e a policia Federal cumpre mandados contra bolsonaristas. Um deles foi o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e o presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Eduardo Bim, eles foram alvos de uma operação que investiga a exportação ilegal de madeira para EUA e países da Europa.

A determinação foi do ministro do STF Alexandre de Moraes que determinou quebra de sigilos bancário e fiscal do ministro do Meio Ambiente e afastamento de Eduardo Bim do comando do Ibama. A reportagem tentou contato com citados. Segundo o G1, o afastamento preventivo de Bim do comando do Ibama e o de outros nove agentes públicos que ocupavam cargos e funções de confiança nos órgãos.

Os servidores afastados foram; Eduardo Bim, Leopoldo Penteado, Vagner Tadeu Matiota, Olimpio Ferreira Magalhães, João Pessoa Riograndense Moreira jr, Rafael Freire de Macedo, Leslie Nelson Jardim Tavares, Andre Heleno Azevedo Silveira, Arthur Valinoto Bastos e Olivaldi Alves Azevedo Borg. Todos do Meio Ambiente e IBAMA.

O ministro Alexandre de Moraes determinou ainda a suspensão imediata da aplicação de um despacho emitido em fevereiro de 2020, que permitiu a exportação de produtos florestais sem a necessidade de emissão de autorizações de exportação. Ricardo Salles é alvo de muitas criticas por parte de ambientalistas, indígenas e população de áreas de preservação, ficou famoso pela frase “Vamos aproveitar que a mídia esta olhando só pra covid e vamos passando a boiada.”

Outra fissura foi do General Eduardo Pazzuello, ex-ministro da saúde do Bolsonaro. No inicio ele  se mostrou ser um general fraco, passivo e obediente a seus subordinado capitão. Ele prestou depoimento sobre ações e omissões do governo durante a pandemia. Parlamentares avaliam o que fazer em razão das mentiras ditas durante a oitiva da CPI da Covid.

O general Pazzuello começou a sua má digestão por volta das 10:00 da manhã e começou até falando grosso para seus investigadores civis, coisa que militar não tem ou gosta nem um pouco de fazer.

Segundo informou o Correio Braziliense, o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello teve um mal estar e foi atendido pelo senador Otto Alencar, que é médico, após depor na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da covid-19. De acordo com o parlamentar, Pazuello teve uma crise relacionada a Síndrome de Vasovagal, que resulta na redução temporária de oxigênio no cérebro.

Síndrome de Vasovagal é na verdade perda transitória da consciência; desmaio, provocado pela diminuição da pressão arterial e dos batimentos cardíacos por ação do nervo vago, localizado na região da nuca. É causado pela demora na chegada de sangue ao coração e ao cérebro. Devia se lembrar pelo menos da falta de oxigênio em Manaus.

A oitiva foi suspensa, mas, segundo os senadores, não foi por causa de Pazuello, mas sim pela quantidade de senadores inscritos para fazer perguntas. O depoimento será retomado para esta quinta-feira (20/5). Otto Alencar explicou que depois que atendeu o ex-ministro, ele tinha plenas condições de continuar o depoimento. O parlamentar afirmou que observou que o ex-ministro estava pálido, e que foi auxiliá-lo. “Coloquei ele no sofá, ele deitou, elevei as pernas coloquei para cima para o sangue voltar para a cabeça”, explicou.

Foto de Arquivo/ ACidade ON

Com G1/Coreeio Braziliense

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s