Em comissão da Câmara, deputado bolsonarista acerta soco em Paulo Teixeira (PT)

Reunião analisa PL que pode liberar o uso medicinal da cannabis, quando Diego Garcia (Pode-PR) avançou contra o petista, não me recordo de algum episódio em que fato semelhante possa ter acontecido,, imagina-se sendo assim de fato a repercussão em toda mídia? Acho que o brigão valente deva está no lugar errado pois UFC é outra lugar, melhor alguém receitar cananabis medicinal pro cara pois assim ficará bem mais calmo.

Com Brasil de Fato

O fato aconteceu na  manhã desta terça-feira (18), durante reunião da Comissão Especial que discute o PL 399/2015, que regulamenta a comercialização de remédios à base de cannabis, o deputado federal Diego Garcia (Podemos-PR) acertou um soco em Paulo Teixeira (PT-SP), que preside o colegiado.

Teixeira havia decidido negar, após votação dos deputados da comissão, um requerimento de Garcia, bolsonarista que desde o princípio da tramitação do projeto tenta inviabilizar a matéria, que pedia o adiamento da sessão. Indignado, o governista agrediu o petista.

Outros deputados que participavam da reunião, se aproximaram de Garcia e o afastaram de Teixeira. Exaltados, bolsonaristas gritavam: “Não vão liberar a maconha no Brasil”. Uma posição equivocada, já que o projeto não contempla o uso recreativo, como apregoa os representantes do governo, apenas para fins medicinais.

Quando a reunião foi retomada, Garcia afirmou que “não houve violência” e foi retrucado por Teixeira. “Esse deputado chegou aqui na frente e me deu um murro no peito. Eu vou pedir o filme, vou pedir o filme.” No seu perfil da pagina da oficial da Câmara ele  se diz  “Em defesa da vida e da família, combate à corrupção, alfabetização e doenças raras.” não é bem assim  que  parece.

Cannabis medicinal

Caso aprovado, o PL 399 preencherá uma lacuna de 14 anos na legislação brasileira. A Lei 11.343 de 2006, conhecida como Lei de Drogas, já previa o cultivo da maconha para uso na produção de medicamentos e pela ciência.

Em seu parágrafo único, a legislação afirma: “Pode a União autorizar o plantio, a cultura e a colheita dos vegetais referidos no caput deste artigo, exclusivamente para fins medicinais ou científicos, em local e prazos predeterminados, mediante fiscalização, respeitadas as ressalvas supramencionadas.”

No entanto, a ausência de regulamentação sobre as condições de cultivo da maconha sempre impediu que associações e empresas investissem na produção de medicamentos.

O principal argumento para a aprovação do projeto é a possibilidade de tornar acessível a cannabis terapêutica para pessoas que sofrem com epilepsia, dores crônicas, Alzheimer, mal de Parkinson, doenças neurodegenerativas, entre outros. Hoje, o canabidiol, principal medicamento que utiliza cannabis em sua fórmula, pode custar até R$ 2.500.

Sobre a CPI da Covid

Como todo bolsonarista é negacionista entre outro atributos ele se manifestou hoje no seu Twitter com mais um ataque a China, nosso maior parceiro comercial e principal fornecedor da CoronaVac, em falta hoje no Brasil, ele criticou a CPI da Covid.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s